Oi, um aviso rápido!

Estou modificando o layout do blog aos poucos, mas ainda não fiz as devidas alterações e correções nos posts antigos com fotos e vídeos. Por isso, enquanto você navega pelo blog pode ocorrer de a sidebar (essa coluna à direita que contém o gadget de pesquisa, marcadores, seguidores, etc) ficar abaixo da postagem. Pretendo corrigir esse erro em breve, até lá peço desculpas.

29/07/2020

uma carta para uma pessoa especial

É inevitável. E pensar no pior é tão destrutivo. Como se fosse melhor olhar pro passado procurando um motivo. Não há.
Ontem de noite sonhei contigo. Eu quase pedi, em meus sonhos, pro senhor ainda estar aqui comigo.

Mesmo que em vida eu não fosse tão presente
Mesmo que em vida eu não demonstrasse
Em meus sonhos eu pedi para o senhor ligar o teu radinho, cantarolar os seus modões antigos
Em meus sonhos eu pedi para escutar a voz rouca me perguntando como estava a escola. Oferecendo-me pé de moleque e paçoca, "esse chiclete que vocês gostam" e bala halls.

Eu não demonstro, mas eu sinto tua falta toda vez que piso naquela casa. Toda vez que me lembro daqueles feriados. Toda vez que vejo aquele gato branco de olhos azuis, eu lembro do senhor.

Já faz 3 anos. Eu não demonstro, mas em meus sonhos eu peço para ter apenas um pouco da força que o Sr. teve. 

maio de 2020
Aqui outro texto que escrevi para essa mesma pessoa.

Palavras soltas

Avalanche. Fria. Silenciosa.
De dentro.
Acúmulo. Tralha.
Por dentro.
Desestabilizou e...
Pesou e caiu.
Sufocou. Machucou.
Estado de Emergência.
!
Alguém viu...
!
?
;
.
Levanta a cabeça e sorri
"Só um dia ruim"
Saiu e acenou.

escrito em algum momento entre o fim de 2018 e o início de 2019

Nunca foi um poema, nunca teve a intenção de ser um. Os pontos fazem parte do texto, significam alguma coisa. Adolescente? Talvez.

Não. Eu não estou de volta. Estou usando o blog como pasta de arquivos e salvando textos que estavam nos meus cadernos antigos porque não quero perdê-los. 

E, minha gente, quantas mudanças tiveram no blogger nesse meio tempo, né? Por enquanto, estou detestando esse novo visual pra edição, mas pode ser apenas porque não estou acostumada.

27/03/2020

Endereço: meu quarto

Faz duas semanas que entrei em uma quase voluntária "rotina de não sair de casa". Para mim é um pouco estranho chamar de quarentena, porque o usual é eu não sair mesmo. A primeira semana foi muito parecida com uma rotina de férias para mim, apenas com a pecualiaridade de continuar com responsabilidades da faculdade. Talvez o mais diferente nesses dias de quarentena é que não estou precisando pegar ônibus, ir para a aula, essas coisas. Essa quarentena está sendo um feriado prolongado que não acaba mais, e mesmo assim, ja estou começando a ficar incomodada, porque dessa vez não dá para achar uma desculpa para ir ao comércio, ou a algum parque.

Para distrair e com toda essa preocupação com o COVID-19 tenho visto muita gente que está fazendo coisas novas. Acho interessante, porque nessas duas semanas eu não fiz nada útil para meu país haha' brincadeiras a parte, é verdade, Isadora só pensou e pensou, mas não fez nada para aprender algo novo. Na primeira semana eu ainda estava com algumas atividades a distância do curso, mas agora as aulas foram suspensas de vez (e o medo de perder um semestre cresceram). O que tem me distraído nesse segundo semestre é que estou fazendo teletrabalho ("trabalho", com aspas, porque sou só estagiária), além, claro, de gastar meu tempo no bom e velho YouTube e seu amigo Twitter. A prima Netflix, às vezes, dá as caras também.

Uma das consequências de ficar em casa é que tenho escutado muita música, tal como nas férias. Então meu desafio da quarentena atual é zerar a playlist de recomendados que eu tenho no spotify - que, por mais que tenha esse nome para meus amigos colocarem músicas lá, sou eu mesma que sempre loto de músicas. E até que eu tô conhecendo alguns artistas novos e atualizando as playlists.

Vou atualizar meu endereço para meu quarto, porque eu tenho passado mais de 3/4 do meu dia nesse mesmo cômodo haha' seja para fazer teletrabalho, para estudar ou para assistir alguma série. Talvez seja melhor mudar isso, né? Li que é mais saudável separar um lugar da casa pra responsabilidades de trabalho e estudo, pra não confundir a cabeça... coisa do tipo...

Por hoje é isso, até!